«HAVANA, CUBA, May 14, 2012, (LifeSiteNews.com) – For all the negative backlash it has inspired, Barck Obama’s support for same-sex “marriage” has its share of supporters – such as the daughter of the Communist president of Cuba.
Mariela Castro called Obama’s speech, which cited the Golden Rule as his reason for redefining the family, “humane” and “understanding.” The daughter of Raul Castro and niece of Fidel – who stepped down as president in 2006 – said she hoped the American president’s “words will be taken seriously in the political and legislative decisions made in different states and in the whole world.” »
A sobrinha de Fidel Castro, Mariela Castro, aplaude Barack Hussein Obama por este defender o “casamento” gay. Recorde-se que os regimes comunistas, como por exemplo o de Cuba ou da ex-União Soviética, reprimiram violentamente – e mais do que nenhum outro regime — a sodomia. Por exemplo, numa célebre entrevista de Álvaro Cunhal, feita por Carlos Cruz na RTP1 há cerca de 20 anos, o líder comunista português referiu-se à sodomia como “uma coisa muito triste” (sic). E eu concordo com ele.
A actual posição política da filha de Raul Castro acerca do “casamento” gay tem dois significados políticos evidentes: o primeiro, a evolução na continuidade do marxismo, ou seja o anúncio do marxismo cultural em Cuba e a continuação de uma politica insidiosa de ataque à família natural; e, por outro lado, a procura do estabelecimento de laços políticos com a Esquerda marxista cultural norte-americana protagonizada por Barack Hussein Obama, no seguimento das reformas políticas que se avizinham em Cuba que pressupõem uma abertura ao investimento norte-americano.
Em Cuba não existem hoje nem uniões civis gay, nem tão pouco “casamento” gay.