quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Violência sexual contra criança e adolescentes: uma responsabilidade de todos - Professor Universitário da Universidade Federal de Rondônia pratica a sua ideologia esquerdista neo-marxista de relativismo na prática de sua PEDOFILIA.

Violência sexual contra criança e adolescentes: uma responsabilidade de todos


Amor proibido com menor de 17 anos pode levar professor universitário de Ji Paraná à prisão, fotos mostram o garoto com lata de cerveja e abraçado o professor da universidade federal de Rondônia

VIOLÊNCIA SEXUAL NO BRASIL

A violência sexual praticada contra crianças e adolescentes se faz presente em todas as regiões do país, onde muitas vezes os seus agressores estão dentro das suas próprias casas, pois na grande maioria dos casos os agressores são pessoas de confiança das crianças e adolescentes, o que torna muito dificultoso tanto o trabalho de descobrimento do crime quanto à avaliação de traumas sofridos por essas pessoas.

Sobre o assunto vale destacar uma passagem do livro sobre direitos sexuais da criança e do adolescente1 :

Geralmente há uma proximidade afetiva e de confiança entre a vitima e o agressor, mesmo se este não faz parte da família. O vizinho, professor ou (ex) namorado são pessoas que configuram no topo da lista de agressores sexuais. A dominação pela sexualidade implica na quebra do pacto de confiança e proximidade a favor de um pacto de silêncio e medo que possibilita o abuso sexual.

Quando as crianças e os adolescentes não são vítimas diretas dentro da sua própria casa, ou seja, quando não sofrem a violência sexual dentro do seu seio familiar, muitas vezes meninas e meninos são negociados como mercadorias no mercado negro do tráfico sexual, onde há freqüentemente participação dos pais na venda dessas crianças, principalmente, no sertão nordestino, onde a população que sofre com a seca é refém dos atravessadores do tráfico sexual que se oferecem a comprar meninos ou meninas sadias, sobre a alegação de proporcionar aos mesmos uma melhor qualidade de vida.

O que muitas vezes as famílias que sofrem com esse tipo de abordagem não sabem, é que essas meninas ou meninos serão vitimas de uma crueldade sem precedentes, já que mais uma vez serão negociados com os donos de estabelecimentos que exploram a prostituição infantil e a exploração sexual, sendo esses seres humanos expostos a todo o tipo de violação possível seja ela de cunho físico, moral ou psíquico levando-os a completa perda da dignidade da pessoa humana.

A violência sexual que sofrem crianças e adolescentes em todo o país é um gênero do qual fazem parte a prostituição infantil e a exploração sexual, condutas tipificadas como crime no art.244-A do Estatuto da criança e do adolescente, esses retiram da criança a sua dignidade, violam a sua liberdade e ainda os privam da capacidade de sonhar numa fase da vida onde os sonhos são essenciais para o desenvolvimento de um ser humano consciente e preocupado com os seus semelhantes.

É importante aqui destacar um trecho da obra sobre crimes praticados contra a criança e adolescente2:
O abuso e a exploração sexual ferem um leque de direitos fundamentais da criança e do adolescente, tais como: a dignidade, a imagem, o seu desenvolvimento físico e psíquico (mental, moral e espiritual), bem como o seu direito a liberdade. Tais ilícitos violam o direito ao respeito (art.17 do ECA), isto é, a integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, viola-se seus valores, idéias e crenças.
As crianças e os adolescentes vítimas de violência sexual carregam traumas, que segundo especialistas são irreparáveis, sendo muito importante durante o tratamento desses menores o apoio da família, já que a violência sofrida por essas pessoas quebra o pacto social do qual depende a estruturação de todo indivíduo, ou seja, essas crianças e adolescentes perdem a sua identidade e passam a assumir uma identidade que não as pertence, justamente durante esse processo o apoio familiar é imprescindível para que a identidade perdida seja resgatada e assim devolva a essas vitimas, na medida do possível, uma condição de vida digna.

Um grande exemplo de como as crianças e adolescentes brasileiros são vitimas de violência sexual, vem retratado no filme nacional anjos do sol de direção de Rudi Lagemann, este filme foi estruturado em cima de notícias de vitimas de violência sexual no país, onde se pode observar a crueldade com que essas crianças são tratadas no mercado negro do sexo, destacando-se a região amazônica como um grande ponto de turismo sexual, já que as meninas ficam isoladas no meio da floresta a serviço dos trabalhadores da região e cumprindo ordens do cafetão, e quando essas ordens são desobedecidas chegam a ser castigadas e muitas pagam um preço altíssimo perdendo a própria vida.

O filme foi baseado em histórias reais e ao assistir as imagens fica um sentimento de revolta por saber que isso tudo acontece todos os dias na realidade brasileira, hoje há mais de cem mil crianças vitimas de prostituição infantil e exploração sexual por todo o Brasil. Quem são os responsáveis por esses meninos e meninas vitimizados?
O Estatuto da criança e da adolescência elenca no art.244-A o crime de violência sexual ao dispor que:
Art. 224-A: Submeter criança ou adolescente, como tais definidos no caput do art.2º desta lei, à prostituição ou à exploração sexual:
Pena-reclusão de 4 a 10 anos e multa. [....] (Grifos Nossos)
Esse artigo só foi introduzido no Estatuto da criança e do adolescente em 2000, com o advento da Lei nº 9.975, até então esse tipo de violência sexual era tratado de acordo com as diretrizes gerais de direito penal, mais foi um grande avanço para o ECA a inserção no seu texto dessa pratica lesiva contra os direitos dos menores, onde percebe-se que a violência sexual é o gênero da qual fazem parte as condutas de exploração sexual e prostituição infantil.
O próprio artigo deixa clara a distinção entre as condutas, pois a prostituição infantil é o comércio de fim sexual em troca na grande maioria dos casos de dinheiro, mais já foi constatado que muitas meninas e meninos são obrigados a vender o seu corpo em troca de comida, o que leva a percebe o grau de miserabilidade de uma parcela da população que está à margem da sociedade. Já a exploração sexual é toda forma de proveito sexual sobre alguma pessoa, podendo ser comercial ou não, havendo contato físico ou não.

A exploração sexual sem contato físico ocorre quando a criança é estimulada através de fotos, histórias, pornografia, imagens, tanto pelo meio de comunicação quanto ao vivo, ou também pode acontecer quando ela é obrigada a despir-se para o estimulo dos prazeres de um adulto. Ao contrário da exploração sexual sem contato físico, está aquela que há o contato direto da criança, onde a mesma tem o seu corpo invadido por outra pessoa na busca de satisfação de prazer ou por pura perversidade.

O Estatuto da criança e do adolescente cumpriu o seu papel prevê essas condutas como crimes, mas a mera previsão não surte muitos efeitos, já que é necessária uma interdisciplinaridade de políticas públicas para que haja não só as prisões daqueles que violam sexualmente de nossas crianças e adolescentes, mais também para que ocorra um processo de acompanhamento social dessas pessoas a fim de devolver a dignidade perdida.

E essas políticas públicas devem ir além, não ficar só no campo da repressão, mais principalmente focar na prevenção de danos, resgatando a dignidade dessas famílias que estão à parte da sociedade.
Apesar de a violência sexual acontecer da classe A a E , as pessoas mais atingidas são justamente as igualmente expostas as mazelas sociais, já que aqueles que detém capacidade econômica na grande maioria da vezes sofrem a violência sexual, só que fazem a opção de ficarem em silêncio para evitar escândalos, enquanto que os menos abastados financeiramente sofrem a violência e ficam em silêncio não por opção, mas sim por medo de represália do próprio agressor.
Está mais do que na hora da sociedade mudar esse cenário de crimes sexuais e passar a cumprir os ditames constitucionais, olhando assim pelas crianças e adolescentes brasileiros de uma forma que possa ser implementado todos os seus direitos dispostos no Estatuto da Criança e do Adolescente, para isso basta obedecer a Lei e fomentar políticas públicas que produzam resultados sociais.
CONCLUSÃO
Diante desse quadro lamentável de violência sexual no país, chega-se a conclusão de que essa responsabilidade é de todos nós, quando uma criança ou adolescente é vitima de violência sexual não falham só as instituições estatais, junto com elas falhamos eu e você, ou seja, toda a sociedade, pois a própria Carta Magna de 1988 dispõe ser dever de todos selar pelo bem-estar de nossas crianças.
Por isso façamos nossa parte na luta contra o combate a violência sexual no país articulando junto com a família e com o Estado políticas públicas de resultados, que venham a impedir, enquanto há tempo, que outros anjos sejam aliciados por esses malfeitores e que o futuro do nosso país não seja de crueldade e abusos , mais sim de concretização de um dos principais fundamentos da República Federativa do Brasil a Dignidade da Pessoa Humana.
Parece que o professor universitário de Ji - Paraná perdeu a noção da realidade, fotos mostram o menor com lata de cerveja nas mãos.

Simplesmente se apaixonou pelo menor, uma menor de 17 anos de idade, levou o apaixonado para Ji Paraná e os dois ficaram lá.

O professor universitário conseguiu um vitoria grandioso o apoio da família da vítima, resta saber se ele conseguiu o apoio da justiça que luta contra exploração sexual, onde garotos em situação de muita vulnerabilidade vendem o seu corpo para ter regalias com os afortunados.
Fotos abaixo prova que o menor com lata de cerveja ao lado do professor isso é prova?,Difamação mostrar foto de um menor tomando cerveja ao lado de um professor universitário de Ji Paraná?.O docente garantiu a uma fonte que o que a une ao menor é amor verdadeiro e não mero desejo sexual. Tanto que chegou a conversar com mãe da menino.
Fonte disse que já foi denuncia o ao reitor da faculdade e que ele lhe pediu para não tornar o caso público. Há suspeitas de que outros menores.
O silencio da direção da faculdade onde o professor trabalha, a policia terá que chamar para prestar esclarecimentos. Ele foi alertado via email sobre o caso, mas nada Fez, difamação já caiu por terra, porque as fotos mostram o fato,o menor tomando cerveja ao lado do professor universitário como pode?O professor so ai já cometeu um crime, não da para entender o silêncio da faculdade vejam as fotos abaixo,a tese de calunia,injuria,difamação,não existe, porque as fotos responde por si só,se não existisse as fotos poderia levar em consideração esse fato,mais com as fotos cai por terra todos esses argumentos.

Fotos mostram professor universitário ao lado de um menor tomando cerveja De acordo com informações de uma fonte, a policia vai proceder de uma investigação, onde o Ms Paulo Dutra(UNIR/Ji-Paraná) , será investigado a partir dessa semana. Em recente entrevista professora Antonieta da Silva, sobre o caso do professor universitário de Ji Paraná, ela destacou um ponto crucial mantenedor de tanta violência e impunidade; O SILÊNCIO! Disse que a acusação contra o professor universitário é fruto de um caso do ex do garoto e as fotos é o que? Montagem?Mentira. Em uma foto o menor aparece tomando cerveja ao lado do professor que isso?É mentira as fotos?Menor tomando cerveja?Calunia?, a lei permite menor tomar cerveja?Será que o professor universitário de Ji Paraná esta acima da lei?Justificar as graves denuncia acusando outra pessoa de ciúme então é verdade que esta casado com o menor?É verdade que tirou o garoto de casa e colocou na casa de amigos para despistar a policia?
Para ela, durante os sete anos que está à frente da luta contra a exploração de garotos pobres e que para mudar de vida e ganhar dinheiro fácil fica com pessoas com bom aquisitivo nesse contexto passa ser explorado sexualmente com próprio consentimento, o SILÊNCIO é a principal desgraça na vida das vítimas e benção para os estupradores e pedófilos e de outros violentos, que espancam esposas, ou racistas e preconceituosos que agridem negros, índios, pobres, feios, fracos, homossexuais, prostitutas, obesos, idosos e todos que estão em condição de fragilidade ou em desvantagem social.

Este SILÊNCIO ESTUPRADOR começa a perturbar e incomodar várias pessoas e consciência e não é coincidência não esse início de levante, é pura indignação social de como estão silentes quem deveria estar se pronunciando, ainda mais pela gravidade do fato.

Vários sites percebeu o SILÊNCIO das autoridades, com relação a acusação contra o professor universitário de Ji Paraná,alegar ciúme do ex do menor é confessar que esta praticando o crime de exploração sexual.
Varias pessoas não está em SILÊNCIO e enviou e tem enviado email revoltada com, “o SILÊNCIO das instituições de defesa da criança e do adolescente. Em plena campanha de enfrentamento ao abuso e exploração de menores esta notícia bombástica parece não ter incomodado os que usam a mídia para se intitular defensores da família, dos bons costumes etc etc...”, desabafou entre outras justas cobranças as autoridades.
Também está em SILÊNCIO ESTUPRADOR a universidade que o professor trabalha deveria agir para afastar o professor e não acreditar que é vingaça de alguém as fotos é o que?significa o que?ciúmes do menor?Significa confessar a pratica do crime,

E tem o SILÊNCIO da OAB/RO, dos líderes religiosos, entre outros, que já deveriam ter se manifestado e ainda estão inertes, como se nada estivesse acontecendo!

O SILÊNCIO de quem deveria agir está estuprando moralmente as crianças, as adolescentes e as mulheres que sofreram este tipo de violência.

Este SILÊNCIO ESTUPRADOR está servindo de guarida para delinqüentes sexuais continuarem a estuprar e fazer novas vítimas.


NA MINHA OPINIÃO...


... Este SILÊNCIO ESTUPRADOR é filho da omissão com a indiferença. É carregado de uma terrível e fria má vontade política e social que estende a mão sobre as mentes pervertidas estupradoras e pedófilas protegendo-as das vistas das famílias das vítimas. As autoridades que deveriam tomar providências, e não tomam, promovem mais violência contra as vítimas e proteção aos pervertidos, já que nada ou quase nada fazem para detê-los e simplesmente acredita na versão do professor que a motivação para tudo isso é ciúmes então já é réu confesso, confessou que mantém relacionamento com o menor.

Estes autores criminosos e covardes que se regozijam com a falta de punições e com as facilidades de agir aproveitam amplamente este SILÊNCIO ESTUPRADOR que marca para sempre mentes inocentes e indefesas que choram e não são ouvidas, gritam e quase ninguém percebe, pedem e não recebem, imploram e não são atendidas.
Caso parecido Na época, o professor acionou a Polícia Militar porque a casa dele havia sido furtada. A polícia foi até a residência e encontrou, próximo à casa, adolescente, de 15 anos e um outro rapaz, maior de idade, com os objetos que foram reconhecidos pelo professor. O menor foi apreendido por furto qualificado e o maior foi preso em flagrante pelo mesmo crime.

Leia mais notícias no Gazeta Online Sul

Na delegacia, a polícia desconfiou da versão do menor, que disse que tinha a cópia da chave da casa do professor. Quando questionado, o adolescente confessou que mantinha relações sexuais com o professor há três anos.

O menino foi encaminhado para fazer tratamento com psicóloga e a polícia conseguiu um mandado judicial de busca e apreensão na casa do professor. Lá, foram encontradas várias fotos que de acordo com o delegado Paulo Amaral, são suficientes para justificar a prisão de Valter.

O outro rapaz que prestou depoimento confirmou a versão apresentada pelo menor. Segundo o delegado, o rapaz disse que os dois frequentavam a casa do professor, que oferecia bebida alcoólica a eles e exibia filmes pornográficos.

Após sete meses de investigações, o professor teve prisão preventiva decretada na tarde da última segunda-feira (10), e foi encaminhado à delegacia de Conceição de Castelo, onde está detido à disposição da justiça, já que na de Muniz Freire não há carceragem.

Ainda de acordo com o delegado Paulo Amaral, o professor, que já foi diretor da escola estadual Arquemino Matos, foi preso pelos crimes de estupro de vulnerável e responderá por corrupção de menor. O acusado pode pegar até 30 anos de cadeia.

Professor compra adolescente com dinheiro com quem mantém casamento em RO

Professor universitário e pesquisador sobre Relações Raciais

Professor universitário e pesquisador sobre Relações Raciais, Sexualidade, Violência e História Paulo Dutra, poderá ser foi autuado em flagrante e preso, em Cuiabá onde será porta voz da historia da educação do negro no Guaporé, por exploração sexual de um menor de 17, ele mantém um casamento estável com o adolescente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário