quinta-feira, 19 de maio de 2011

SENHOR, PEDIMOS MISERICÓRDIA PARA O BRASIL - Preta Gil diz ser bissexual e que vai tirar Bolsonaro do Congresso (Nota deste blogger: Não votem em partidos que estimulam a imoralidade)

Preta Gil diz ser bissexual e que vai tirar Bolsonaro do Congresso

Frase foi dita em reunião no Congresso para discutir casamento civil entre casais heterossexuais

A cantora Preta Gil participou ontem (17) de uma reunião na Câmara dos Deputados onde se discutia a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) que prevê o casamento civil entre casais homossexuais.

Sempre polêmica arrancou aplausos ao dizer: “Sou negra e bissexual, é importante que se diga”.

Preta Gil rebateu ao deputado Jair Bolsonaro (PP) que em um programa de televisão incitou o preconceito, segundo a cantora.

A cantora perguntou para o deputado o que ele faria se um filho dele namorasse uma negra. A polêmica iniciou quando o político respondeu de forma bem enfática: “Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco, meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu”.

Agora Preta Gil disse que vai processar Bolsonaro e que lutará para vê-lo longe do Congresso. “Uma das minhas lutas agora é para que ele não seja reeleito no Estado do Rio de Janeiro.

Pauta da reunião

Depois do Supremo Tribunal Federal STF decidir a favor da união estável homoafetiva, os casais homossexuais pedem o direito do casamento civil.

Por isto lésbicas, travestis e transexuais de todo o país estiveram reunidos na Câmara dos Deputados para pedir a aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que prevê o casamento civil entre homossexuais.

A proposta é de autoria do deputado Jean Willys (PSOL) que também é homossexual.

A relatora, senadora Marta Suplicy afirma que a luta vai ser difícil, mas que deve ganhar forças para seguir adiante. “Temos de caminhar com estratégia, paciência, determinação... no Senado teremos de ser negociadores, de conversar e avançar”, completou.

Para a senadora Marta Suplicy (PT-SP), essa é uma luta que deve continuar. Ela é relatora, no Senado, do projeto que criminaliza a homofobia. “Temos de caminhar com estratégia, paciência, determinação”, disse. “E no Senado teremos de ser negociadores, de conversar e avançar”, completou.

Fonte: A Tribuna News/Juliana Santos
Fonte Via: http://www.atribunanews.com/exibe.php?id=73986

Nenhum comentário:

Postar um comentário