sábado, 18 de dezembro de 2010

THE CHILD LOVE MOVEMENT: UM OLHAR CRÍTICO SOBRE O ATIVISMO PEDÓFILO

Suheyla Fonseca Misirli Verhoeven
Advogada, Professora Universitária e Mestranda em Políticas Públicas e Processo do Centro Universitário Fluminense - UNIFLU - Faculdade de Direito de Campos, RJ.

http://www.conpedi.org.br/manaus/arquivos/anais/campos/suheyla_fonseca_verhoeven.pdf

domingo, 29 de agosto de 2010

Resistência cristã, reformada, evangélica e calvinista CONTRA O PT, Lula, Dilma, Igreja Universal do Reino de Deus, seus candidatos para governadores, senadores, deputados federais e estaduais e aliados e a DEFESA INTOLERANTE EM PROL DA FAMÍLIA E DA VIDA.

A SITUAÇÃO DA DEFESA DA VIDA

sdv@pesquisasedocumentos.com

DIFUNDA ESTA MENSAGEM.

EXPLIQUE A SEUS CONTATOS QUE A DIVULGAÇÃO DO CONHECIMENTO É NECESSÁRIA PARA A DEFESA DA VIDA.
===========================================
COMISSÃO DA CNBB DIVULGA APELO AOS BRASILEIROS
===========================================
APRESENTAÇÃO E RESUMO

A Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que abrange as 41 dioceses do Estado de São Paulo, presidida por Dom José Benedito Simão, ex-diretor da Faculdade de Teologia da Arquidiocese de São Paulo e atualmente bispo de Assis (SP), acaba de divulgar um APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS, sobre o envolvimento do atual governo com a promoção do aborto.

O documento, que pode ser obtido pela internet em arquivo PDF, está sendo distribuído nas ruas, nos faróis, nas escolas, faculdades, nas portas dos órgãos de imprensa, enfim, onde e para onde quer que conduza a criatividade daqueles que lutam pela preservação da vida e pelos mais elementares princípios da verdadeira liberdade humana.

O original do documento encontra-se no site da Diocese de Assis, no seguinte endereço:

http://www.diocesedeassis.org/index.php?option=com_content&view=article&id=169:apelo-a-todos-os-brasileiros

O documento da Comissão em Defesa da Vida relaciona parte de uma longa série de ações do atual governo, as quais evidenciam o envolvimento direto deste governo com a promoção do aborto.

O APELO AOS BRASILEIROS é uma resposta irreplicável aos comentários da candidata Dilma Rousseff, a qual declarou recentemente à imprensa que

"TANTO EU QUANTO O PRESIDENTE LULA NÃO DEFENDEMOS O ABORTO. DEFENDEMOS O CUMPRIMENTO ESTRITO DA LEI".

http://www1.folha.uol.com.br/poder/770779-dilma-nega-defender-aborto-e-diz-que-opiniao-de-bispo-nao-e-uma-posicao-da-cnbb.shtml

DILMA ROUSSEFF MENTE DE MODO FRANCO, ABERTO E VERGONHOSO SOBRE O ENVOLVIMENTO DE SEU GOVERNO E DE SEU PARTIDO COM A PROMOÇÃO DO ABORTO NO BRASIL, CONFIANDO NA CUMPLICIDADE DOS QUE NÃO DIVULGARÃO A VERDADE, NÃO IMPORTA SE AMPLAMENTE DOCUMENTADA.

SE VOCÊ ADMINISTRA UM SITE CATÓLICO OU EVANGÉLICO, COPIE E PUBLIQUE EM SEU SITE O APELO AOS BRASILEIROS E BRASILEIROS.

SE VOCÊ É PASTOR DE ALGUMA IGREJA OU PARÓQUIA, IMPRIMA O DOCUMENTO E
DISTRIBUA-O ENTRE OS SEUS FIÉIS.

Cópias do documento em PDF para impressão podem ser obtidas neste endereço, e estão sendo livremente divulgadas em vários outros

sites:

http://www.pesquisasedocumentos.com.br/apelobrasileirosbrasileiras.pdf

Além da ações elencadas no documento, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, poucos dias antes das declarações da candidata, acabava de elaborar e aprovar um documento, no âmbito do direito internacional, que propõe para todos os governos da América Latina, inclusive o Brasil, a completa legalização do aborto. O documento, previamente apresentado pela Ministra Nilcéia Freire ao presidente Lula na quarta feira dia 14 de julho, denominado CONSENSO DE BRASÍLIA, foi aprovado na sexta feira, dia 16 de julho de 2010, em Brasília, por ocasião da conclusão da XIª Conferencia Regional sobre a Mulher da América Latina e Caribe, promovida pela CEPAL (Comissão Econômica para América Latina e Caribe da ONU) e organizada pela Secretaria de Políticas para as Mulheres do governo Lula.

No dia 5 de agosto de 2010 os deputados Paes de Lira (PTC-SP), Talmir Rodrigues (PV-SP) e Miguel Martini

(PHS-MG) apresentaram ao Congresso Nacional o Projeto de Decreto Legislativo PDC 2840/2010, que susta os efeitos gerados pelo documento "Consenso de Brasília".

http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=484558

Assista aqui um vídeo que exibe as denúncias apresentadas pelos deputados a favor da vida no Plenário da Câmara, apontando a ilegalidade do Consenso de Brasília, que pretende agora NÃO APENAS PROMOVER O ABORTO NO BRASIL, COMO TAMBÉM EM TODA A AMÉRICA LATINA:

http://www.youtube.com/watch?v=0K4TPKZiyVc

E, mesmo com tudo isso, a candidata Dilma Rousseff insiste em mentir ao povo brasileiro afirmando que NEM ELA, NEM O PRESIDENTE LULA, JAMAIS DEFENDERAM O ABORTO, LIMITANDO-SE APENAS AO ESTRITO CUMPRIMENTO DA LEI!

A candidata Dilma Rousseff não teve coragem de comparecer ao debate entre os candidatos à presidência, no qual seriam abordados, sem restrições, temas como o da legalização do aborto, promovido pelas emissoras de televisão católicas e transmitido em cadeia nacional para um público estimado em mais de cem milhões de espectadores, realizado na segunda feira, dia 23 de agosto de 2010.

Para justificar seu não comparecimento, a candidata, em carta enviada às emissoras, alegou problemas de agenda. Entretanto, mal iniciado o debate, ao qual supostamente não poderia ter comparecido devido à sua apertadíssima agenda, Dilma Rousseff foi flagrada TWITANDO E ASSISTINDO UMA APRESENTAÇÃO DA BANDA DO PATO FU.

"LAMENTO QUE A CANDIDATA DILMA ROUSSEFF TENHA FUGIDO DESTE DEBATE,
PORQUE ISSO É DE FATO O QUE ACONTECEU", comentou o candidato José Serra, ao que acrescentou, diante das câmaras que irradiavam o debate poara todo o Brasil:

"SE AQUI NÃO VEIO A DILMA ROUSSEFF, NÃO FOI POR CAUSA DA AGENDA, MAS POR DIFICULDADE DE DIZER O QUE DE FATO PENSA. SUA CANDIDATURA É MAIS PELO LADO DA MANIPULAÇÃO".

"DOS QUATRO CANDIDATOS A SENHORA DILMA
É A ÚNICA QUE É UMA INCÓGNITA", afirmou o candidato Plínio de Arruda Sampaio:

"INVENTADA PELO LULA, NÓS NÃO SABEMOS
QUEM ELA É. ELA DEVERIA ESTAR AQUI, MAS NÃO ESTÁ. ESTA SENHORA MANDA UMA CARTINHA CHEIA DE PLATITUDES, E FOGE DAS QUESTÕES QUE VÃO SER DISCUTIDAS AQUI HOJE, PORQUE ESTAS É QUE COMPROMETEM, ESTAS É QUE PODEM TIRAR VOTOS E DAR VOTOS, E ESTA É TODA A CAMPANHA DELA.

SABEM O QUE ESTA SENHORA ESTÁ FAZENDO AGORA? ESTÁ TWITANDO! OS MEUS
TWITEIROS JÁ DESCOBRIRAM QUE ELA ESTÁ NESTE MOMENTO ASSISTINDO UM GRUPO MUSICAL CHAMADO PATO FU.  ELA, A ÚNICA DESCONHECIDA, A ÚNICA QUE NINGUÉM SABE O QUE PENSA, ELA NÃO VEIO, FICOU TWITANDO EM VEZ DE VIR RESPONDER A UM ELEITORADO QUE É SÉRIO, QUE TROUXE AQUI TODA A SUA HIERARQUIA."

Assista aqui um vídeo exibindo como os candidatos explicaram as razões da ausência de Dilma Rousseff do debate presidencial:

http://www.pesquisasedocumentos.com.br/debatepresidencial.wmv

===========================================

APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS

===========================================

http://www.diocesedeassis.org/index.php?option=com_content&view=article&id=169:apelo-a-todos-os-brasileiros

NÓS, PARTICIPANTES DO 2º ENCONTRO DAS COMISSÕES DIOCESANAS EM DEFESA DA VIDA (CDDVS), ORGANIZADO PELA COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB e realizado em S. André no dia 03 de julho de 2010,

- considerando que, em abril de 2005, no IIº Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº 45) O ATUAL GOVERNO COMPROMETEU-SE A LEGALIZAR O ABORTO,

- considerando que, em agosto de 2005, o atual governo entregou ao Comitê da ONU para a Eliminação de todas as Formas de Descriminalização contra a Mulher (CEDAW) documento no qual reconhece o aborto como DIREITO HUMANO DA MULHER,

- considerando que, em setembro de 2005, através da Secretaria Especial de Polítíca das Mulheres, o atual governo apresentou ao Congresso um substitutivo do PL 1135/91, como resultado do trabalho da Comissão Tripartite, no qual é proposta a DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO ATÉ O NONO MÊS DE GRAVIDEZ E POR QUALQUER MOTIVO, pois com a eliminação de todos os artigos do Código Penal, que o criminalizam, o aborto, em todos os casos, deixaria de ser crime,

- considerando que, em setembro de 2006, no plano de governo do 2º mandato do atual Presidente, ele reafirma, embora com linguagem velada, o compromisso de legalizar o aborto,

- considerando que, em setembro de 2007, no seu IIIº CONGRESO, O PT ASSUMIU A DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO E O ATENDIMENTO DE TODOS OS CASOS NO SERVIÇO PÚBLICO COMO PROGRAMA DE PARTIDO, sendo o primeiro partido no Brasil a assumir este programa,

- considerando que, em setembro de 2009, o PT puniu os dois deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por serem contrários à legalização do aborto,

- considerando como, com todas estas decisões a favor do aborto, o PT e o atual governo tornaram-se ativos colaboradores do IMPERIALISMO DEMOGRÁFICO que está sendo imposto em nível mundial por Fundações Internacionais, as quais, sob o falacioso pretexto da defesa dos direitos reprodutivos e sexuais da mulher, e usando o falso rótulo de “aborto - problema de saúde pública”, estão implantando o controle demográfico mundial como MODERNA ESTRATÉGIA DO CAPITALISMO INTERNACIONAL,

- considerando que, em fevereiro de 2010, o IVº CONGRESSO NACIONAL DO PT MANIFESTOU APOIO INCONDICIONAL AO 3º PLANO NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS (PNDH3), decreto nª 7.037/09 de 21 de dezembro de 2009, assinado pelo atual Presidente e pela ministra da Casa Civil, no qual se reafirmou a descriminalização do aborto, dando assim continuidade e levando às últimas consequências esta política antinatalista de controle populacional, desumana, antisocial e contrária ao verdadeiro progresso do nosso País,

- considerando que este mesmo Congresso aclamou a própria MINISTRA DA CASA CIVIL COMO CANDIDATA OFICIAL DO PARTIDO DOS TRABALHADORES PARA A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA,

- considerando enfim que, em junho de 2010, para impedir a investigação das origens do financiamento por parte de organizações internacionais para a legalização e a promoção do aborto no Brasil, O PT E AS LIDERANÇAS PARTIDÁRIAS DA BASE ALIADA BOICOTARAM A CRIAÇÃO DA CPI DO ABORTO que investigaria o assunto,

RECOMENDAMOS ENCARECIDAMENTE A TODOS OS CIDADÃOS E CIDADÃS BRASILEIROS E BRASILEIRAS, em consonância com o art. 5º da Constituição Federal, que defende a inviolabilidade da vida humana e, conforme o Pacto de S. José da Costa Rica, desde a concepção, independentemente de sua convicções ideológicas ou religiosas, QUE, NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES, DEEM SEU VOTO SOMENTE A CANDIDATOS OU CANDIDATAS E PARTIDOS CONTRÁRIOS À DESCRIMINALIZACÃO DO ABORTO.

Convidamos, outrossim, a todos para lerem o documento “Votar Bem” aprovado pela 73ª Assembléia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, reunidos em Aparecida no dia 29 de junho de 2010 e verificarem as provas do que acima foi exposto no texto “A Contextualização da Defesa da Vida no Brasil”

[ http://www.cnbbsul1.org.br/arquivos/defesavidabrasil.pdf  ],

elaborado pelas Comissões em Defesa da Vida das Dioceses de Guarulhos e Taubaté, ligadas à Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, ambos disponíveis no site desse mesmo Regional.

COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB

segunda-feira, 5 de julho de 2010

O ESTADO ALEMÃO DOMINADO PELA SUA TEOLOGIA ILUMINISTA-LIBERAL-SATÂNICA-ESQUERDISTA-FEMINISTA-PANTEÍSTA-PANENTEÍSTA ESTIMULA A PEDOFILIA...

título acima grifado - Prof. Luis Cavalcante

Alemanha tem cartilha escolar que incentiva pais a massagearem vagina das filhas

“Os pais (homens) não dedicam atenção suficiente ao clitóris e vagina de suas filhas. Raramente eles fazem carinho nessas regiões, embora seja o único jeito de as meninas desenvolverem um sentimento de orgulho de seu sexo”, declara o livreto para pais de crianças de 1 a 3 anos. Os autores desculpam: “A criança toca todas as partes do corpo de seu pai, às vezes provocando excitação nele. O pai também deve fazer a mesma coisa com a criança”

BERLIM, Alemanha (LifeSiteNews.com) — Livretos de uma subsidiária do Ministério para Assuntos da Família, com 340 páginas, intitulados “Amor, corpo e brincando de médico” do Centro de Educação de Saúde do governo federal alemão (Bundeszentrale für gesundheitliche Aufklärung – BZgA) têm como alvo os pais — o primeiro lidando com crianças de 1 a 3 anos e o outro com crianças de 4 a 6 anos de idade. Os dois livretos de Assuntos da Família do governo alemão incentivam os pais a massagear sexualmente seus filhos.

Aconteceu antes na Alemanha. Aconteceu em outras nações. Diferentes causas, mas a mesma dinâmica, a rejeição da ordem moral do universo criado resulta no mal radical. A intervenção do Estado alemão na vida familiar é um novo nível de autodestruição

“Os pais (homens) não dedicam atenção suficiente ao clitóris e vagina de suas filhas. Raramente eles fazem carinho nessas regiões, embora seja o único jeito de as meninas desenvolverem um sentimento de orgulho de seu sexo”, declara o livreto para crianças de 1 a 3 anos. Os autores desculpam: “A criança toca todas as partes do corpo de seu pai, às vezes provocando excitação nele. O pai também deve fazer a mesma coisa com a criança”.

O autor e palestrante público canadense Michael O’Brien, que já escreveu muito sobre a crise cultural no Ocidente, falou com LifeSiteNews.com sobre esse fenômeno chocante e extremamente preocupante. Isso, disse ele, é “incesto incentivado pelo Estado, o que na maioria das sociedades é crime”. Essa progressão, indica ele, é resultado natural da rejeição da ordem moral judaico-cristã.

“A revolução social imposta que vem varrendo o mundo ocidental está caminhando para uma nova fase, enquanto executa as conseqüências lógicas de sua perspectiva acerca do valor do homem”, disse O’Brien. “Está meramente obedecendo à sua filosofia estritamente materialista acerca do homem. Se o homem não é mais do que uma criatura criada para o prazer ou poder e se ele não é mais do que uma célula no organismo social, então nenhum padrão moral, nenhuma verdade psicológica e nenhuma verdade espiritual conseguirão refutar a ‘vontade do poder’ e a ‘vontade do prazer’”.

O livreto aconselha os pais a permitir que as crianças novas “se masturbem o quanto quiserem”, a não ser que danos físicos se tornem evidentes. Dá o seguinte conselho: “As crianças precisam aprender que não existe tal coisa como partes vergonhosas do corpo. O corpo é um lar, do qual você tem de sentir orgulho”. Para crianças de idades entre 4 e 6, o livreto recomenda que as crianças sejam ensinadas sobre os movimentos da cópula.

Outro produto da BZgA é um livro de músicas para crianças de 4 anos que inclui várias músicas defendendo a masturbação. O livro de músicas com o título de “Nariz, barriga e bumbum” inclui uma música com a seguinte letra: “Quando toco meu corpo, descubro o que tenho. Tenho uma vagina, porque sou menina. A vagina não é só para fazer xixi. Quando eu a toco, tenho uma sensação agradável”.

O livro de músicas com o título de “Nariz, barriga e bumbum” inclui uma música com a seguinte letra: “Quando toco meu corpo, descubro o que tenho. Tenho uma vagina, porque sou menina. A vagina não é só para fazer xixi. Quando eu a toco, tenho uma sensação agradável”

O livro de músicas com o título de “Nariz, barriga e bumbum” inclui uma música com a seguinte letra: “Quando toco meu corpo, descubro o que tenho. Tenho uma vagina, porque sou menina. A vagina não é só para fazer xixi. Quando eu a toco, tenho uma sensação agradável”

“A posição mais sábia da maioria das civilizações reconhecia que as crianças precisam de um período de inocência”, comentou O’Brien. “Agora o Estado, o Estado alemão, está incentivando a destruição da inocência”, acrescentou ele. “Isso tudo está de acordo com a filosofia materialista que vê todas as normas morais e todas as verdades acerca da natureza humana como repressivas. O prazer e seu conceito distorcido de liberdade são seus únicos princípios de direção”.

De acordo com o jornal polonês Rzeczpospolita, o livreto da BZgA é leitura obrigatória em nove regiões da Alemanha. É usado para treinar professores de creches, escolinhas e escolas do ensino fundamental.

Ironicamente, esse mesmo livreto é recomendado por muitas organizações que oficialmente lutam contra a pedofilia, tais como a Kunderschutzbund. Anualmente, BZgA distribui milhões de exemplares desse livreto.

“Uma sociedade tal como a sociedade alemã que já está em profundo declínio — aliás, profunda degeneração moral — ganhará apenas a herança de um furacão de violência e mais níveis de degradação de seu próprio povo”, alertou O’Brien.

“Aconteceu antes na Alemanha. Aconteceu em outras nações. Diferentes causas, mas a mesma dinâmica, a rejeição da ordem moral do universo criado resulta no mal radical. A intervenção do Estado alemão na vida familiar é um novo nível de autodestruição”, disse O’Brien.

Rzeczpospolita noticia que BZgA afirmou que antes de distribuir o manual a organização consultou pais, educadores e psicólogos infantis — 93% dos quais deram uma avaliação positiva.

Até mesmo para uma nação ocidental, os outdoors e anúncios de TV da Alemanha chegam ao máximo do limite da pornografia pública. No ano passado, LifeSiteNews.com noticiou que uma revista bem popular entre adolescentes na Alemanha publica fotos de adolescentes nus em posições sexuais que seriam consideradas pornografia infantil ilegal na vasta maioria dos países.

Considerando que a nova “moralidade” da elite secular governante é a imoralidade e que a educação escolar em casa é proibida, os pais na Alemanha ficam imaginando o que ainda falta descobrir na educação pública.
“As crianças que não foram ‘liberadas’ pelos pais receberão aulas especiais em suas escolas onde passarão a aprender essas práticas?” perguntou O’Brien retoricamente. “Se o Estado intervém desse jeito, o que o impedirá de intervir nas outras áreas?”

O’Brien concluiu seu comentário citando G.K. Chesterton: “Quando os homens deixam de crer em Deus, depois disso eles não crêem em nada, então se tornam capazes de crer em qualquer coisa”.


Fonte 1: http://www.lifesite.net/ldn/2007/jul/07073008.html
Fonte 2: http://blogdotony.com.br/2010/06/07/alemanha-cartilha-pais-vagina

domingo, 9 de maio de 2010

O DOCUMENTO DECISIVO QUE MOSTRA QUE A HOMOSSEXUALIDADE ESTÁ NA RAIZ DA CRISE DE ABUSO SEXUAL

por John-Henry Westen
19 de abril de 2010 (Notícias Pró-Família) — Um documento de leitura obrigatória produzido por Brian Clowes, diretor de pesquisas de Human Life International (Vida Humana Internacional), resolveu definitivamente a questão se a homossexualidade no sacerdócio é a origem da crise de abuso sexual no clero. Citando numerosos estudos e pesquisas, Clowes prova que a homossexualidade tem ligação forte com o abuso sexual de menores, e que o celibato não é definitivamente uma das causas da pedofilia.

Clowes cita estudos, inclusive:

— O homossexual Alfred Kinsey, o supremo pesquisador sexual dos EUA, revelou em 1948 que 37 por cento de todos os homens homossexuais confessaram ter tido sexo com crianças abaixo de 17 anos.

— Um recente estudo publicado na revista Archives of Sexual Behavior (Arquivos de Conduta Sexual) revelou que “A melhor evidência epidemiológica indica que só 2,4% dos homens que têm atração por adultos preferem homens. Em contraste, entre 25 e 40% dos homens que sentem atração por crianças preferem meninos. Portanto, o índice de atração homossexual é de 6 a 20 vezes mais elevado do que entre pedófilos”.

— Um estudo em Archives of Sexual Behavior revelou que “A pedofilia parece ter uma associação muito mais do que casual com outros dois fenômenos estatisticamente infreqüentes. O primeiro desses é a homossexualidade… Pesquisas recentes estimam a preponderância da homossexualidade, entre homens que têm atração por adultos, na faixa dos 2%. Em contraste, a preponderância da homossexualidade entre pedófilos pode ser tão elevada quanto 30-40%”.

— Um estudo na Revista de Pesquisa Sexual observou que “…a proporção de criminosos sexuais contra crianças do sexo masculino entre homens homossexuais é significativamente maior do que a proporção de criminosos sexuais contra crianças do sexo feminino entre homens heterossexuais… o desenvolvimento da pedofilia está mais intimamente ligado à homossexualidade do que à heterossexualidade”.

— Um estudo de 229 homens condenados por estupro de crianças, publicado em Archives of Sexual Behavior, revelou que “oitenta e seis por cento dos criminosos [sexuais] contra pessoas do sexo masculino descreviam-se como homossexuais ou bissexuais”.

Para ver as referências dessas pesquisas, por favor, leia o documento total de Clowes aqui.

Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com/

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/apr/10041916.html
 
Fonte brasileira - http://feedproxy.google.com/~r/JulioSevero/~3/9AWLcu7qbec/o-documento-decisivo-que-mostra-que.html

quarta-feira, 28 de abril de 2010

FRENTE ANTISATÂNICA DO (DES)GOVERNO PETISTA E ALIADOS

O GOVERNO LULA OU P.P.E.S (PETISTA, PROGRESSISTA, ESQUERDISTA E SOCIALISTA), ENCARNARAM A LOUCURA; ESTÃO FAZENDO DE TUDO PARA ENFIAR NA SUA CABEÇA A NORMALIDADE DA PROSTITUIÇÃO, DIVÓRCIO, HOMOSSEXUALISMO, BISSEXUALIDADE, SEXO COM ANIMAIS  E DEFUNTOS,  E O HOMOSSEXUALISMO COM CRIANÇAS (PEDOFILIA) ATRAVÉS DA IDEOLOGIA SOCIALISTA E PÓS-MODERNISTA DE SODOMA E GOMORRA E A PERMISSÂO DA NEO-PEDOFILIA (GAYS ADOTANDO CRIANÇAS).

A meta deste (des)governo é a destruição da família judaico-cristã, é destruir Gn 1.1.

Este imoral e satânico (DES)GOVERNO PETISTA, através do CNE - Conselho Nacional de Educação juntos com centenas de ONG´s depravadas e anti-naturais (financiado com os nossos impostos) estão produzindo milhões de cartilhas e livros educacionais e didáticos para levar os seus filhos para o HOMOSSEXUALISMO em 2011 d.C.

Este (des)governo e todos os seus aliados, são inimigos da moral, da virtude e acima de tudo, são inimigos dos valores históricos do cristianismo.

Muitos "cristãos cabanenses" (adeptos do evangelho universalista, esotérico e simpatizante da nova era) em nome de um "relacionamento profundo com D-us" ou "intimidade com D-us", fortalecem o analfabetismo bíblico via  neo-pentecostais ou carismatianos anarquistas, desprezando e provocando reducionismos nas doutrinas bíblicas JUNTOS com os carismatianos neo-romanizados com suas perspectivas liberalizantes e ódio e ateísmo aos fundamentos bíblicos, sendo protagonistas e ressuscitadores do velho (neo)liberalismo teológico em solo brasileiro, tornando-se aliados do avanço deste (DES)GOVERNO LULISTA OU IMORALIZANTE.

Conforme a fonte abaixo e milhares de reportagens e artigos sobre o assunto, o governo usa o SEU DINHEIRO, O NOSSO DINHEIRO para estimular e desenvolver a cultura da pornografia, imoralidade em nome da luta contra o "PRECONCEITO".

****
Governo lança campanha para combater preconceito contra travestis


O Ministério da Saúde e a Secretaria de Direitos Humanos lançaram nesta terça-feira uma campanha de prevenção da Aids e combate ao preconceito voltada aos travestis.
Com slogans como "Sou travesti. Tenho direito de ser quem sou" e "Veja além do preconceito", a ação será voltada à população em geral e aos profissionais de saúde. Eles receberão ainda informativos com orientações para receber os travestis.
Além de folders, a campanha disponibilizará no site do Programa de Aids do Ministério da Saúde (www.aids.gov.br/travestis) toques de celular e telas de descanso idealizadas pelas próprias travestis.

Fonte: UOL

****


Maiores informações na FRENTE ANTISATÂNICA DO (DES)GOVERNO PETISTA E ALIADOS
E-mail: frenteantisatanica@bol.com.br

****

quinta-feira, 1 de abril de 2010

O GOVERNO PETISTA QUER HOMOSSEXUALIZAR AS NOSSAS CRIANÇAS ATRAVÉS DO CONAE E DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

O ICER - Instituto de Cultura e Educação Reformada está iniciando uma campanha nacional focado em algumas bandeiras na questão educacional:

1. Cada igreja cristã uma escola. Estimular igrejas cristãs na criação e desenvolvimento de escolas confessionais para salvar o máximo de crianças da homossexualização, imoralidade do Estado esquerdista-petista e do relativismo moral, situcionista, hedonista, sodomita e consumista da sociedade contemporânea.

2. Combater o homossexualismo e sua filha pedofilia. Educar a sociedade sobre os perigos da teoria educacional progressista, relativista e pós-modernista da homossexualização que fragmentará mais a família, contribuirá para surgir defesa teórica e intelectual da pedofilia. O homossexualismo é uma doença, perversão e promotora de patologias físicas, sociológicas, psicológicas, aids, etc.

3. Criaçãos de escolas públicas confessionais. Não queremos que o Estado possa homossexualizar, pedofilizar as nossas crianças com o dinheiro pago pelos cristãos através desta educação progressista-construtivista-imoralizante-relativista. Queremos escolas públicas confessionais administrados pelos pais e educadores cristãos. Queremos que nossos impostos não sejam usados para ensinar princípios e valores contrários as famílias cristãs. Queremos que os pais sejam indenizados através do VALE EDUCAÇÃO para colocar os seus filhos em escolas particulares ou confessionais se percebem que a ideologia educacional atual não atende as necessidades das famílias. Somos solidários ao movimento da ESCOLA EM CASA.


4. Por um Estado Republicano Reformado, Calvinista e Teonômico. Desenvolvimento de uma Liderança Política Cristã e Calvinista, preparando para cargos executivos, legislativo e judiciário. A laicidade brasileira é uma laicidade anti-religiosa, esquerdista, naturalista e extremamente excludente dos aspectos metafísicos, é uma laicidade homossexualizante. Rejeitamos esta laicidade falsa, ateísta, imoralizante, petista, relativista, esquerdista, progressista e diabólica. Cremos e defendemos a separação do Estado da Igreja ou qualquer igreja, porém, condenamos a separação do Estado dos valores judaicos-cristãos responsáveis pelas sociedades-civilizadas e moralmente sustentáveis. Todas as leis humanas para serem leis eficácias precisam estar de acordo com os princípios e a Lei de Deus expressados das Sagradas Escrituras, inclusive pena capital para aqueles que cometem assassinatos diretamente e os indiretamentes como os crimes de "colarinho branco".

Prof. Luis Cavalcante - http://luis-cavalcante.blogspot.com/


*************

Livros didáticos e escolas terão de incluir temática LGBT. Comente

Os temas sobre orientação sexual e homossexualidade terão de aparecer nos livros didáticos e nas salas de aula. Pelo menos, foi essa a decisão da Conae (Conferência Nacional de Educação), que acontece em Brasília até amanhã (1º).


Segundo o presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais), Toni Reis, o movimento LGBT está satisfeito com a conferência. “Saímos vitoriosos. Se o país cumprir o que foi aprovado, a homofobia na escola está com os dias contados”, afirma.

A Conae pretende traçar diretrizes para a educação do país, que podem ser incorporadas no Plano Nacional de Educação. É este plano que define o que será prioridade no ensino brasileiro nos próximos dez anos.


Além da presença nos livros escolares, a temática LGBT deverá ser ensinada nas faculdades e cursos de formação de professores. Além disso, de acordo com Reis, a conferência definiu que o livro didático não poderá ter conteúdos que discriminam homossexuais. “É o fim das piadas sobre gays nos livros”, diz.

FONTE: UOL

segunda-feira, 1 de março de 2010

PARABÉNS PARA ASSEMBLÉIA DE DEUS E IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL

Parabéns para a CONVENÇÃO NACIONAL DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS - MINISTÉRIO MADUREIRA se posicionar contra o pecado e crime do homossexualismo (manifesto de madureira) e a coragem da IPB - IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL pela sua fidelidade as doutrinas bíblicas e contrário ao homossexualismo (manifestos e diversos documentos IPB).

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

A PORNOGRAFIA É UM GRANDE PREJUÍZO FAMILIAR

O mercado pornográfico é um dos mais rentáveis negócios de todos os tempos.

O mercado pornográfico é um dos mais rentáveis negócios de todos os tempos. Larry Flynt, empresário e dono do império Hustler, retratado por Milos Forman e Oliver Stone no filme "O povo contra Larry Flynt, Bob Guccione, da revista Penthouse e Hugh Hefner, dono do Império Playboy, compõem alguns desses milionários da exploração da fantasia sexual. Não esquecendo, porém, que uma fatia gigantesca dessa mercado é dominado pelo crime organizado.

Entretanto, a mais nova, rentável e promissora ferramenta desse mercado é a Internet. Com um sucesso devastador e arrecadação bilionária, esse novo negócio aumenta cada vez mais o impulso pornográfico no planeta. Demonstrando, com isso, que, nos próximos anos, boa parte dos lares, com acesso a WEB, estarão conectados em páginas com conteúdo pornográfico. Desfrutando das imagens de corpos nus, sexo e prazeres oferecidos.

Porém, essa ferramenta tem causado problemas e constrangimentos diversos. A Pedofilia, considerada a mais grave infração permeada pela web, tem fortalecido um mal, inigualável, aos jovens e crianças deste mundo.E pessoas tem sido encarceradas pela prática e divulgação de imagens de sexo com crianças. Além do que, outras aberrações tem sido demonstradas , como, por exemplo, a zoofilia. Aliás, dia desses, um americano morreu por ter sido sodomizado por um cavalo. Entretanto, essa prática é legal em alguns estados americanos, onde existem ranchos e fazendas para concretizar o sonho sexual de algumas pessoas com animais.

O problema mais grave, entretanto, é a divulgação e disseminação da pornografia. Pois, alguns empresários da pornografia, usam métodos parecidos com o tráfico de drogas. Primeiro eles oferecem de graça. Depois eles começam a cobrar. Aliás, é desse jeito que o império das ilusões e da criminalidade tem florescido. Agora, qualquer pessoa obtém imagens e vídeos da pornografia, de maneira fácil e gratuita. Onde, muitos milhões de incautos, têm seguido o roteiro dos sonhos proibidos e não sabem que estão doentes. Sim, doentes e viciados, pois o mecanismo da pornografia é o mesmo do Alcoolismo. Mesmo porque, clínicas psiquiátricas e psicológicas, de atendimento desses problemas, já estão sendo espalhadas pelo planeta. E terapeutas familiares têm travado uma batalha árdua nos lares.

Assim, interessados nessa manobra, estão alguns donos de Revistas pornográficas - que controlam, muitas vezes, impérios de publicação ou canais de televisão, a Máfia dos diversos paises, o crime organizado, o narcotráfico, empresários da prostituição, o mercado dos filmes adultos, a indústria do divertimento, alguns grandes conglomerados da internet, algumas empresas de chats e telefonia celular, etc.

Dezenas de milhões de lares no planeta já foram invadidos, sem que as pessoas, pais e mães, ou um ou outros, saibam. E é tão grave o assunto, que a maioria dos que acessam a pornografia da rede mundial de computadores é adulto, masculino, dos 18 anos para cima, com picos nos da meia idade. Pessoas muito inteligentes e que desenvolveram aptidão para olhar imagens e textos pornôs.

Na realidade, a pornografia tem destruído muitos lares. Pois quando o outro cônjuge, pais,familiares, descobrem, já parece, irremediavelmente, tarde demais. Portanto, em menos de 4 anos, mais lares foram destruídos pela pornografia do que o comparativo dos últimos 50 anos. Isso acontece, sem distinção de nacionalidade, cor, etnia ou credo religioso.

Aliás, começa assim: - Por pura curiosidade, a pessoa envolvida, acessa uma vez. Ai, geralmente, motivadas por um e-mail de conteúdo pornográfico ou oferecimento de um produto com conotação sexual; ou algumas produtoras da WEB que trazem garotas nuas para serem vistas pelos seus assinantes; aquele negócio da garota da semana, começam a ver mais e mais vezes. Isto mesmo, só curiosidade. Logo depois, começam a acessar os diversos mecanismos de buscas. Usando palavras, frases, palavrões, órgãos do corpo, partes íntimas, adjetivos, etc, acessam imagens que levam às páginas dos produtores dessas fotos, que podem ser copiadas. Depois, já nessas páginas, outras imagens, mais fortes e mais fortes. Levando ao frenesi do pensamento de alguém que sabia disso, mas não havia visto ou sentido isto. Porém, o gratuito começa a ser cobrado por cartão de crédito, débito ou boleto bancário.

Esse sentimento a que me referi, foi-me contado por um amigo que não chegou aos 25 anos. Religioso, Adventista do Sétimo dia, bom moço, exemplar, estudioso e que descobriu essa fantasia e agora quer libertar-se e não consegue. Aliás, já fez de tudo. Consegue ficar até 30 dias sem olhar, mas de repetente, não consegue mais e olha e se perde nas imagens que lhe ofuscam a mente. John, o nome que estou dando a ele, me informou que, após o contato com tantas páginas, o que é comum em outros relatos, demonstrou um sentimento de culpa muito grande, ao ponto de quando pensa em oração, as milhares de imagens instantâneas e rápidas, pululam pelo seu pensamento, gerando insatisfação, descontentamento, confusão, desânimo e angústia.

Mas o perigo é muito real para os jovens. Encontros são marcados pela internet. Namoros e sexo são virtuais e , depois, carnais. A juventude se afunda sem que os pais saibam. Não há grandes sintomas, marcas no corpo, ou mudanças bruscas de comportamento. Há, até, uma certa mudança. Mas desconhece-se a profundeza do assunto na família. Primeiro porque os pais desconhecem esses mecanismos. Depois, que os pais desconhecem os filhos. E, ainda, os pais não têm tempo para eles.

Assim, a primeira coisa que temos que fazer é o reconhecer de que nós não estamos tendo esse tipo de problemas. Os sintomas são conhecidos: perda da libido ou prazer sexual com o cônjuge, descontentamento da performance do parceiro, ou a ida a esse mecanismo pela falta de convívio ou contato intimo com o parceiro, o stress do dia à dia, o relacionamento familiar, a falta do que fazer, o excesso de trabalho, as brigas dos pais, a falta de acompanhamento dos filhos, os colegas, no ambiente escolar, os companheiros(as) de trabalho, a amizade de pessoas casadas com outros fora do relacionamento conjugal, a busca de novas experiências sexuais, a timidez desenfreada, a personalidade doentia escondida, a falta de carinho e amor, a falta ou pouco contato com DEUS.

Todo mundo sabe que existe um só DEUS. E a maioria das pessoas acreditam nEle. Assim, esse é o momento de esquecermos as diferentes doutrinas e tratar um assunto muito sério para a integração social e familiar de maneira única. Todos, os que crêem, devem buscar a DEUS e pedir ajuda sobre esse assunto. Esse é o primeiro e melhor conselho. Depois disso, vem a nossa parte da vontade exercida e com todo afinco!

Não se pode deixar um alcoólatra trabalhar num bar. Assim, não pode uma pessoa, com esse tipo de problema, viver na frente de um computador com internet. Depois, outros aspectos que devem ser acrescentados. Entretanto, fale com o seu cônjuge e informe o que está acontecendo, pedindo ajuda. Pois ele é o melhor ouvido e ombros para você chorar. Aliás, se notar o comportamento diferente do marido ou esposa, desconfie, questione e ofereça ajuda e solidariedade; ou busque ajuda. Mesmo assim, procure conhecer a internet e os programas de acesso. Depois veja se não está acontecendo no seu lar. Mas se tiver acontecendo, separação não resolve. Vale nessa hora o amor, compreensão e ajuda.

Evite, também, filmes pornográficos. Não traga para o seu lar tamanho mal. Aliás, tem pessoas que não olham mais para o seu cônjuge. Muitas vezes forçam o outro a ver algo que não gostaria de ver. E o mais terrível é que famílias vão as locadoras, inclusive com a presença de filhos, buscar filmes pornôs, para assistir na sala de casa.

Uma excelente maneira de ajudar é conhecer sobre o assunto. Por isso leia muito. Aliás, todo comportamento familiar diferente tem seus culpados e ninguém se isenta disto. Pois nenhum parceiro que esteja recebendo carinho, amor, atenção, sexo saudável e prazeroso, vai procurar algo fora de casa. Geralmente, a culpa deve ser dividida. Porque o sexo é prazeroso e instituído por DEUS. Para elevar os lares e recriar a felicidade. Sexo é muito bom e, também, uma oração. Mas não do jeito que se demonstra hoje.

Alguns passos:

- Não seja curioso.

- Não entre em sites de busca com essa intenção.

- Não abra e-mails estranhos ou de estranhos.

- Não leia noticias ou histórias sensuais.

- Não deixe de ter bons relacionamentos sexuais com o seu cônjuge.

- Aumente o número de vezes de relacionamento e prazer sexual com o seu cônjuge.

- Observe os seus filhos. Esteja presente e atento quando estiverem na web e procure deixar o computador em um ambiente comum e aberto da residência ( sala, cozinha, corredor, etc) de e nunca no quarto dos filhos, ou do casal.

- Não deixe seu cônjuge sozinho na Internet. Fique com ele,; ajude-o a terminar o que está fazendo ali.

- Bloqueie as tvs de sexo e não forneça a senha para os seus filhos. O melhor exemplo é o exemplo. Se não serve para eles, não serve para você.

- Se não tiver nada para fazer, saia da frente do computador. Dê um passeio ou vá para casa.

- Não acesse internet a noite. Fique com sua família.

- Lembre-se, esse mundo da internet pode ser, em alguns casos, não generalizando, um submundo do crime. Acontecem mortes.

- Ensine e espalhe sobre isto, para o maior número de conhecidos, instituições, clubes,etc...Demonstrando que estão preocupados.

- Troque o que você faz na internet, sem necessidade, por algo saudável.

- Estude a melhor forma de deixar seu cônjuge feliz.

Algumas advertências:

- Alguns sites pornográficos contém vírus.

- Alguns sites pornográficos copiam o seu endereço de I.P.

- Alguns sites pornográficos, geralmente de outros países, enviam cavalos de tróia para descobrirem senhas bancárias e de cartões de crédito.

- Nunca forneça senhas ou acredite em conteúdos de e-mails que peçam isso. Contate o provedor.

- Entrando em sites pornográficos, você pode correr o risco de receber SPAMs com oferecimentos diversos.

- Entrando em sites pornográficos, você poderá conhecer pessoas que estão querendo negociar prostituição. Abalando a sua vida afetiva, financeira .

- Entrando em sites pornográficos, você pode estar deixando a sua família e casamento de lado.

- Alguns homens que entram em sites pornográficos ficam impotentes. Essa impotência é psicológica e em referência ao parceiro. Pode se dar pela culpa ou pela pessoa que não é um modelo daqueles vistos na web ou em filmes pornôs.

- O Tratamento é caro e, geralmente, eficaz. Apesar que, a maioria das vezes o sintoma passa em pouco tempo.

- Divórcio pode significar: infelicidade, doenças, separações, divisão de bens, pobreza, incerteza, agressões, filhos perturbados, lares partidos, suicídios, etc...

Entretanto, ler livros de orientação familiar é importante. Leia a Bíblia, certamente ajudará você nesse ponto também!

Terminando: se bem que muito se pode falar, quero dizer que a intenção desse escrito, simples, foi produzir um sentimento no leitor, de aversão a pornografia de toda espécie, principalmente à internet. Aliás, eu quero pedir um favor: Que você, se quiser, divulgue para o maior número de pessoas possíveis. Pois, de alguma maneira, você poderá estar ajudando a salvar uma vida, uma família, um lar! E se você fala ou lê em outro idioma, traduza e envie para os conhecidos e desconhecidos.

Um forte abraço para você e fique com DEUS.

Data: 18/2/2010 09:39:13 - Fonte: Armando Luis Francisco / Portal da Família - AQUI

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

ABORTO É UM TIPO DE PEDOFILIA E ASSASSINATO...

ABORTO É UM TIPO DE PEDOFILIA E ASSASSINATO, E É UMA BANDEIRA ESQUERDISTA E PROGRESSISTA, UMA VEZ LEGALIZADO, TEMOS A OFICIALIZAÇÃO DO "ESTADO LAICO" RELIGIOSO DA MORTE PETISTA-UNIVERSAL. Prof. Luis Cavalcante

*******************

Os “indesejáveis” e a propaganda da inverdade
Respondendo aos argumentos abortistas do jornal Folha de S. Paulo
Julio Severo

Tudo começa na propaganda em massa, e a grande mídia, que tem praticamente monopólio dessa propaganda, pode provocar alterações imensas na mentalidade da população. Já dizia o chefe de propaganda nazista que uma mentira repetida mil vezes se torna verdade. Tal repetição na grande mídia pode transformar na mente popular ódio em amor e vice-versa, e morte em vida, e vice-versa.

Contudo, o debate agora não mais é sobre a vida dos “indesejáveis” judeus na mídia da Alemanha nazista. O debate agora trata dos “indesejáveis” bebês em gestação na moderna mídia do Brasil.
Em seu artigo “Abortando o problema”, Hélio Schwartsman, articulista e editorialista da Folha de S. Paulo, defendeu o aborto com a seguinte argumentação:

“Suponhamos por um breve instante que as leis e instituições funcionassem direitinho no Brasil e que todas as mulheres que induzem ou tentam induzir em si mesmas um aborto fora das hipóteses previstas em lei (risco de vida para a mãe ou gravidez resultante de estupro) fossem identificadas, processadas e presas. Neste caso, precisaríamos construir 5,5 novos presídios femininos (unidades de 500 vagas) por dia apenas para abrigar as cerca de 1 milhão de ex-futuras mamães que interrompem ilegalmente suas gravidezes a cada ano”.

Eu não sei de que cartola Schwartsman tirou esse coelho de 1 milhão para basear seus cálculos, já que é hábito antigo da propaganda pró-aborto no Brasil inchar os números. O Dr. Bernard Nathanson, médico judeu que se tornou o diretor da maior clínica de abortos do mundo ocidental e presidiu 60 mil operações de aborto, confessou acerca da propaganda antes da legalização do aborto nos EUA:

Diante do público… quando falávamos em estatísticas [de mulheres que morriam em conseqüência de abortos clandestinos], sempre mencionávamos “de 5 a 10 mil mortes por ano”. Confesso que eu sabia que esses números eram totalmente falsos… Mas de acordo com a “ética” da nossa revolução, era uma estatística útil e amplamente aceita. Então por que devíamos tentar corrigi-la com estatísticas honestas? [1]

Quando a meta é exterminar o “problema”, para os nazistas os fins justificavam os meios — e a propaganda e as estatísticas infladas. Hoje, quando a meta é abortar o “problema”, igualmente os fins justificam os meios — e a propaganda e as estatísticas infladas.

Mas mesmo que o número de 1 milhão de Schwartsman fosse correto, o que fazer? A doutrinação “cultural” controlada pelos nazistas na Alemanha chegou a tal ponto que grande parte da população concordava em exterminar judeus — e provavelmente um número significativo de alemães participou ativamente de tal extermínio. O que fazer? O número elevado de participantes de um crime justifica sua aceitação e legalização?

O bom, no caso do Dr. Nathanson, é que ele acabou largando seu multimilionário negócio sujo de fazer abortos e manipular estatísticas.

As maravilhas do aborto legal?

O argumento de Schwartsman prossegue: “Recursos igualmente vultosos teriam de ser destinados à edificação de orfanatos, para abrigar os milhares de crianças que ficariam desassistidas enquanto suas mães cumprissem pena”.
Então, com a legalização do aborto, haveria menos despesas para o governo?

Bem-vindo a “Alice no país das maravilhas do aborto”! E quanto aos recursos mais vultosos, sr. Schwartsman, que teriam de ser destinados para arcar com o enorme sistema que teria de ser criado a fim de atender centenas de milhares de mulheres que, seduzidas pelos anúncios da indústria estatal do aborto, fariam dois, três ou quatro abortos? Quem vai pagar essa imensa conta, sr. Schwartsman? E quem vai pagar a conta dos traumas e seqüelas do aborto nas mulheres e suas famílias?

Tente, sr. Schwartsman, junto com sua esposa dar a seus filhos pequenos educação escolar em casa, e diante de sua persistência, o governo o condenará à prisão ou no mínimo à perda da guarda de seus filhos, pouco se importando se suas crianças pequenas ficarão sem pai e mãe. Enquanto você propõe que mulheres que matam sejam poupadas, famílias que não matam nem estupram não estão sendo poupadas pelo Estado que quer controle sobre tudo e sobre todos.

O governo também quer criminalizar a prática de pais amorosos disciplinarem os filhos. Quanto dinheiro, sr. Schwartsman, deverá ser gasto para a construção de orfanatos para crianças cujos pais forem presos pelo “crime” de educar os filhos em casa ou por fazerem uso de seu tradicional direito de disciplinar e corrigir fisicamente a desobediência dos filhos?

Se até pais e mães inocentes estão sendo condenados, por que indivíduos culpados não podem ser condenados?

Se uma mãe mata uma criança de seis anos, ou mata outro adulto, deveria o Estado poupá-la só porque ela tem outros filhos para criar?

No caso em que uma mãe matou deliberadamente seu bebê em gestação, que chances os outros filhos dessa mulher terão de ter uma criação psicologicamente saudável e sem traumas?

Onde o aborto coloca a mulher?

O aborto intencional também coloca a mulher numa categoria diferente do papel de mãe amorosa. Enquanto, a fim de obter conquistas, o movimento feminista pró-aborto pinta todas as mulheres como eternas oprimidas e vítimas, o assassinato de bebês em gestação efetivamente coloca a mulher que mata na categoria de opressora.

Com o aborto intencional, a mulher se junta ao homem na capacidade e desumanidade de agredir, violar direitos e matar uma vida inocente.
Schwartsman continua: “Vale observar ainda que essa minha conta despreza um número significativo de médicos, parteiras ou simplesmente comadres e amigas que de algum modo auxiliaram as nossas reeducandas a livrar-se dos fetos indesejáveis e, pela lei, também deveriam ir à cadeia”.

O que fazer com os milhares de guardas de campo de concentração, médicos sádicos e todos os outros alemães que colaboraram para exterminar os “indesejáveis”? Essa seria uma boa pergunta para o editorialista da Folha de S. Paulo.

Questão de saúde pública?

Em todo caso, Schwartsman insiste em que “o problema do aborto não é uma questão que se resolva na Justiça”. É questão do que, então?
Exterminar judeus era uma questão de saúde pública? Provavelmente, a população alemã amante da cultura nazista diria que sim, respondendo que é muito mais saudável não ter os indesejáveis judeus por perto. Hoje, quem está na categoria de indesejáveis são os bebês em gestação, cujo extermínio não é encarado como grave problema ético e criminal, mas simplesmente como “questão de saúde pública”.

A contracepção diminui os abortos?

Schwartsman diz: “O importante, em termos práticos, é criar as condições para que as mulheres não precisem abortar, o que se consegue basicamente com a oferta de métodos contraceptivos gratuitos ou pelo menos muito baratos à população (com o que a Igreja Católica não concorda) e com educação. Os estudos demográficos são unânimes em apontar uma fortíssima correlação entre o nível de instrução da mulher e a diminuição da fecundidade e, por conseguinte, dos abortos clandestinos.”

O acesso amplo a contraceptivos diminui o número de abortos? Schwartsman deveria explicar isso para os EUA e Europa, que são campeões em contracepção e aborto legal! Só os EUA têm hoje mais de 1 milhão de abortos legais por ano. Desde a legalização do aborto nos EUA em 1973, mais de 50 milhões de bebês em gestação foram assassinados. A contracepção diminui o número de abortos, sr. Schwartsman, só em shows mágicos de cartolas e coelhinhos.

Mas concordo com ele em que há uma “fortíssima correlação entre o nível de instrução da mulher e a diminuição da fecundidade”. Apesar disso, não há nenhuma correlação entre o nível de instrução da mulher e a diminuição de abortos legais. Nenhuma. Basta ver as americanas e européias: diplomadas e carreiristas movidas à abundante contracepção e abundantes abortos.

Diplomadas, carreiristas e aborteiras

O que está bastante documentado é que grupos governamentais e não governamentais dos EUA, junto com instituições internacionais como a ONU, vêm há décadas impondo a educação sistemática das mulheres, não por uma preocupação com o bem-estar delas, mas exclusivamente para alcançar seu objetivo maior de reduzir a população mundial — inclusive por meio do aborto legal.

De acordo com eles, a mulher que passa mais tempo na escola e universidade terá como preocupação central da vida suas próprias ambições profissionais, deixando o casamento para mais tarde, se chegar a se casar. Quando se casa — perto da idade de 30, quando 90% dos óvulos já se foram —, ela tem um ou dois filhos, e é mais propensa a abortar como meio de proteger sua carreira. A mulher profissional de hoje é modelo de produção em massa idealizado pela elite do controle populacional. Ela é a imagem e semelhança dos planejamentos dos engenheiros sociais pró-aborto e anti-família.


A educação mais prolongada da mulher diminui suas chances de casamento e família, mas jamais reduz sua atividade sexual, que começa bem cedo e sem nenhum compromisso. O sr. Schwartsman poderia então apresentar uma proposta mais ética e justa: mulheres que não querem ter bebês deveriam evitar relações sexuais, que normalmente levam à gravidez. Se ele não entende esse principio tão básico, tão primordial, o que ele conseguirá entender sobre vida, filhos e família?

Essa proposta racional e prática resolveria vastos problemas sociais e individuais, inclusive o aborto e filhos traumatizados nascidos de relações de indivíduos cujo único compromisso é o hedonismo.

O sr. Schwartsman dá sua razão para não se considerar a vida sagrada: “Estima-se que 2/3 a 3/4 dos óvulos fecundados jamais se fixem no útero, resultando em abortos espontâneos”. É como dizer que, só porque milhares de homens e mulheres morrem de acidentes todos os dias, podemos esquecer igualmente a sacralidade da vida e aprovar as pretensões assassinas que vierem à cabeça de desalmados editorialistas e legisladores.

Incertezas sobre o direito à vida: a novela se repete

O restante do texto do sr. Schwartsman se ocupa em obscurecer as questões relativas ao começo da vida humana, procurando contrapor ciência com religião, e religião com religião, como se a ciência, o direito, a filosofia e a religião não pudessem ficar a serviço da “ética” ideológica predominante. Ciência e religião não eram problemas para o Estado laico da Alemanha nazista e União Soviética. Aliás, por pura coincidência o aborto era a ética do Estado laico da Alemanha nazista e União Soviética que, mesmo se declarando a favor da família, eram assassinos de bebês e famílias. Ambos os sistemas assassinavam dentro e fora do útero.

Se o sr. Schwartsman tivesse passado por tais sistemas, sua mãe e o Estado teriam a palavra final sobre a vida dele dentro do útero, cabendo exclusivamente ao Estado todas as decisões de vida ou morte dele fora do útero, com pouca chance de ele sobreviver para se tornar um formulador de teorias chiques, falsas e tortas na Folha de S. Paulo, posando de filósofo que sabe pensar sobre questões éticas.

Incertezas sobre a vida sempre existirão, mas nada deveria nos impedir de alcançar uma genuína ética que enxergue “todos os seres humanos como criação de Deus”. Havia durante séculos incertezas sobre a humanidade dos judeus. Alguns criam que eles eram meio seres humanos. Outros, nem isso. A motivação por trás de cada incerteza ou certeza era muitas vezes o ódio. E não é diferente no debate sobre o aborto. Quando se fala em “abortar o problema”, a motivação inegável é o ódio, pois o ódio leva à destruição de vidas inocentes.

A visão ideológica sobre os “indesejáveis”


Hoje, o mundo islâmico — que conta com pelo menos 1 bilhão de adeptos — tem em menor ou maior grau muitas incertezas sobre o direito à existência dos judeus e os mais radicais entre eles têm a opinião de que os judeus são simplesmente porcos e animais descartáveis, e é certeza que com uma legalização oficial do extermínio de judeus, muitos outros odiadores sairiam do armário.

Não é o ódio que está motivando o presidente do Irã a fabricar armas nucleares para destruir Israel? Ele pouco se importa se os judeus são seres humanos ou não. De forma igual, os defensores do aborto pouco se importam se os bebês em gestação são seres humanos ou não. O ódio, para eles, é tudo.

Os nazistas queriam resolver o seu “problema”. O presidente do Irã quer resolver o seu “problema”. Os defensores do aborto querem resolver o seu “problema”. A propaganda é diferente, mas o resultado é o mesmo.

Na Alemanha nazista, governo e mídia andavam de mãos dadas com a idéia de que os “indesejáveis” judeus eram o problema. No Brasil moderno, governo e mídia andam de mãos dadas com a idéia de que os “indesejáveis” bebês em gestação são o problema.

Como seguidor de Jesus Cristo e sua ética, na Alemanha nazista eu defenderia os “indesejáveis” judeus do mesmo jeito que defendo hoje os “indesejáveis” bebês em gestação. E mesmo diante do extremo ódio e irracionalidade de muitas nações contra Israel, eu ouso defender o direito do “indesejável” Israel à existência, por causa das promessas de Deus a Abraão, Isaque e Jacó.

Apesar das incertezas que o sr. Schwartsman tentou introduzir no debate sobre o aborto, a única certeza que sobra no texto dele é que deve-se abortar o “problema”.

Sr. Schwartsman, o “problema” não é o judeu, nem o bebê em gestação. O problema é a falta de ética verdadeira — a mesma ética que dirigiu cristãos a abrigarem e esconderem judeus dos nazistas, a mesma ética que hoje os leva a defender o direito à vida dos bebês em gestação contra as propagandas que defendem os Auschwitz do aborto.

O mundo ficaria melhor com a destruição legal deles?

Schwartsman finaliza dizendo: “O mundo não é exatamente um lugar bonito. Mas não precisamos piorá-lo ainda mais transformando-o numa imensa penitenciária”. Essencialmente, ele quis dizer: “O mundo ficaria menos feio se ninguém fosse punido por matar bebês em gestação”.

Nos países onde o Estado controla a tudo e a todos, ninguém vai para a cadeia por matar bebês em gestação. A União Soviética e a Alemanha nazista, nações pioneiras em moderna legislação pró-aborto, não precisavam construir mais penitenciárias para prender mulheres que matavam seus filhos em gestação. Para Schwartsman, só isso já era uma grande economia!
Contudo, não havia economia nenhuma para perseguir os inocentes. Tanto a União Soviética quanto a Alemanha nazista precisaram construir muito mais campos de concentração, para prender, torturar e matar as pessoas que discordavam do sistema e de sua “ética”. Quando os criminosos e seus crimes recebem proteção legal, os inocentes acabam perdendo a sua.

Correndo o risco de ser repetitivo contra os argumentos repetitivos de Schwartsman, a legalização do aborto provocará a tenebrosa necessidade de se estabelecer milhares de clínicas estatais e serviços de aborto em todo o Brasil — a um elevado custo que, como sempre, ficará sobre os ombros do trabalhador brasileiro. Que destino desgraçado! Trabalhar para pagar a conta de sangue dos outros!

Nos países em que o aborto é livre, o cidadão que recusa pagar o imposto do aborto é preso. O cidadão que ousa orar ou se manifestar pacificamente em frente de um matadouro estatal de bebês pode ser preso como se fosse um criminoso — enquanto médico e mulher dentro da clínica matam sob a proteção da lei. E ai de quem chamar os assassinos de assassinos, pois a polícia vem para bater — nos que contrariam o “sagrado” direito de matar.
Hoje, à medida que o Estado brasileiro controla mais e mais a vida dos cidadãos e vai caminhando para descriminalizar o aborto, o direito de livre expressão de criticar essa marcha assassina vai sendo cortado, trazendo o espectro de um dia em que o futuro Estado abortista sentirá necessidade de construir milhares e milhares de penitenciárias para abrigar os milhões de cidadãos brasileiros que discordam da imperiosa e sacrossanta visão estatal e midiática do aborto.

O sr. Schwartsman tem suas razões para tornar o aborto legal menos repulsivo: O nome dele está ligado ao grupo pró-aborto Comissão de Cidadania e Reprodução. Tal credencial lhe permite usar sua experiência jornalística de um modo “imparcial” e “objetivo” no debate sobre o aborto.
De fato, o mundo não é um lugar bonito, mas ficaria menos feio sem as idéias nazistas e soviéticas de aborto.

Para quem não teve sua visão deturpada pela propaganda da inverdade, os bebês são uma das únicas coisas belas que ainda restam neste mundo. Como é que dá então para torná-lo mais bonito com a legalização da destruição em massa deles?

Versão em inglês deste artigo: The “unwanted” and the untruthfulness propaganda

Fonte: www.juliosevero.com

Leia mais:

Rios de sangue: a cultura contraceptiva e o livro do Apocalipse

Nos bastidores das campanhas para legalizar o aborto

Aborto nos casos difíceis: um teste para os líderes evangélicos?

A verdade sobre alguns métodos de planejamento familiar

Aborto: Tragédia ou Direito?

Vacinas de aborto: a verdade escondida

[1] Cf: http://cwfa.org/library/life/1999-12_pp_a-lies.shtml

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

MINISTÉRIO PÚBLICO LEVA GLOBO MODIFICAR PERSONAGEM DE KLARA CASTANHO EM "VIVER A VIDA"

A Rede Globo, Record, SBT, Bandeirantes, Rede TV e outras, precisam aprender a respeitar a dignidade das crianças. Não adianta realizar CRIANÇA ESPERANÇA ou semelhantes e depois nas programações transformar o ser humano e principalmente as crianças em objetos e o LUCRO acima de tudo. O Ministério Público está de parabéns pela energia e capacidade de mudar esta situação. Vivemos em uma sociedade que juntamentamente com estas mídias foram demonizadas pelo lucro. Estão transformando LIBERDADE em LIBERTINAGEM e imoralidade. Se não colocarmos os freios, logo, logo, irão transformar a PEDOFILIA em algo normal como fizeram com o homossexualismo e ausência de PENA CAPITAL na constituição federal para aqueles que cometem assassinatos. Prof. Luis Cavalcante - http://luis-cavalcante.blogspot.com

Ministério Público leva Globo modificar personagem de Klara Castanho em "Viver a Vida"

FLÁVIO RICCO
Colaborou José Carlos Nery

Divulgação/TVGlobo


RESUMOS E CENAS DE "VIVER A VIDA"

A mudança de rumos na personagem da menina Klara Castanho em “Viver a Vida”, que a princípio seria uma vilã, foi determinada por notificação do Ministério Público do Trabalho do Rio e simplesmente acatada pelo autor Manoel Carlos.

O órgão observou que o papel poderia acarretar a ela eventuais manifestações de hostilidade por parte do público, além da possibilidade de sérios danos psicológicos ao seu desenvolvimento.

Havia até o risco de o MP tentar tirar a atriz da novela se o planejamento fosse mantido.

Um outro autor da Globo, por sua vez, assistindo a tudo, faz a seguinte observação: “é cada vez mais o Estado querendo interferir nas nossas vidas. Querendo nos ‘ensinar’ como viver nossas vidas, sem trocadilho. Se fosse no Brasil, o filme "Poltergeist" não poderia ter sido rodado, por exemplo.

Mas fato consumado. “Viver a Vida” terá até o seu final o talento indiscutível de Klara Castanho, mas num papel diferente daquele inicialmente concebido.

Fonte: AQUI