segunda-feira, 19 de outubro de 2009

AUTORIDADE DO GOVERNO OBAMA ADMIROU ARDENTE PROMOTOR DA PEDOFILIA por James Tillman

Washington, DC, EUA, 9 de outubro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Kevin Jennings, o homem que comanda a segurança das escolas no governo de Obama, é um admirador declarado de Harry Hay, um radical ativista homossexual e ardente promotor da pedofilia.

Em comentários dados em 25 de outubro de 1997 na Escola da Igreja da Graça da Cidade de Nova Iorque, Kevin Jennings disse que uma “das pessoas que sempre me inspirou é Harry Hay, que começou os primeiros grupos avançados de direitos homossexuais dos Estados Unidos”.

Ele continuou: “Todos achavam que Harry Hay era louco em 1948, e eles sabiam algo sobre ele que ele aparentemente não sabia — eles estavam certos: ele era louco. Vocês são todos loucos. Nós somos todos loucos. Todos nós que estamos pensando desse jeito somos loucos, pois sabe de uma coisa? As pessoas sãs mantêm o mundo do mesmo jeito [****] que está agora”.

Os motivos por que as pessoas achavam que Harry Hay era louco podem ser vistos em alguns comentários de Harry Hay em eventos ligados ou dirigidos pela NAMBLA, a Associação Norte-Americana de Amor entre Homens e Meninos. O objetivo declarado da NAMBLA é, de acordo com seu site, “acabar com a extrema opressão de homens e meninos em relacionamentos mutuamente consentidos”. Eles se opõem às leis de idade de consentimento sexual, de modo que a pedofilia seja aceita e legal.

Em seus comentários em 22 de fevereiro de 1983 na Universidade de Nova Iorque, Harry Hay relata como ele foi estuprado, aos 14 anos de idade, por um homem homossexual que tinha 25 anos. Ele agradece a esse homem pela experiência, dizendo que o menino que ele era aos 14 anos “precisava aprender o melhor de tudo o que só um homem gay poderia lhe mostrar e lhe dizer”.

Além do mais, essa foi uma experiência ao que tudo indica ele recomenda para muitas crianças, conforme deixam bem claro seus comentários. “Pois se os pais e amigos de gays são verdadeiramente amigos de gays, eles saberiam de seus filhos gays que o relacionamento com um homem mais velho é precisamente o que os garotos de 13, 14 e 15 anos precisam mais do que qualquer outra coisa no mundo. E eles receberiam isso de braços abertos, e receberiam muito bem a oportunidade de meninos gays terem o tipo de experiência que precisariam”.

Harry Hay fez comentários semelhantes em São Francisco em 7 de outubro de 1984, durante um fórum público sobre o tema “Liberação Sexual e Amor entre Homens e Meninos”. Entre seus comentários está esta observação: “Penso que os meninos de 12 e 13 anos que estão se aproximando da puberdade sabem muito bem que há coisas sobre si mesmos que eles precisam descobrir, que eles precisam conhecer, e eles querem achar alguém que lhes dará isso”.

O herói de Kevin Jennings também não achava que a acusação de abuso sexual de crianças muitas vezes lançada contra a NAMBLA tinha importância. Conforme ele declarou em 24 de junho de 1994, no ex-bar Stonewall na Praça Sheridan em Nova Iorque, no que “se refere ao abuso sexual de crianças, a forma mais comum é a coerção sexual mediante a qual crianças gays e lésbicas são enganadas a assumir identidades e condutas heterossexuais. E esse abuso é cometido diariamente por todos os heterossexuais nessa nação e no mundo inteiro — pais, famílias, professores, pregadores, médicos, advogados e chefes indígenas, sem mencionar senadores e a imprensa exibida”.

Harry Hay era um radical entre os ativistas “dos direitos gays”. Ele se opunha aos homossexuais que agiam como heterossexuais, chamando-os de “assimilacionistas” que não viviam plenamente o que é ser homossexual. “Arrancamos o horrível disfarce da conformidade heterossexual de cima de nós, disfarce que usávamos a fim de não sermos surrados por sermos homossexuais”, Hay explicou certa vez. “Sabemos como viver através dos olhos deles. Podemos sempre fazer jogadas, mas estamos nos negando fazendo isso. Se você vai usar o disfarce heterossexual, você vai suprimir o príncipe ou princesa encantada que há dentro de você”.

Em seus comentários na Escola da Igreja da Graça, Kevin Jennings finalizou seu discurso invocando a memória de Harry Hay. Ele pediu à sua audiência que “pensasse quanto pode mudar numa vida inteira se na curta vida de um Harry Hay, ele viu mudança de uma situação em que ninguém queria se unir a ele para uma situação em que um milhão de pessoas estavam dispostas a viajar para a capital dos EUA para se unir a ele. Você poderá ver a mesma mudança ocorrer em sua vida se você crer que pode”.
Quando perguntaram ao secretário de imprensa da Casa Branca se Obama estava despreocupado com o fato de que Jennings louvou Harry Hay, ele disse que nada tinha a dizer no momento.

Kevin Jennings, um professor de escola secundária abertamente homossexual, está no centro de outra controvérsia. Ele foi o fundador da Rede de Educação Gay, Lésbica e Heterossexual (REGLH). REGLH, de acordo com seu site, “tem a visão de um mundo em que toda criança aprenda a respeitar e aceitar todas as pessoas, independente da orientação sexual ou expressão/identidade de gênero”. No notório escândalo “Fistgate”, REGLH realizou um evento em que adolescentes bem jovens foram orientados como fazer perigosas atividades sexuais. Muitas estão acusando a REGLH de tentar saturar as escolas com propaganda homossexual.

Veja os relatos relacionados de LSN:

Obama's "Safe Schools" Czar Dreamed of "Promoting Homosexuality" to Schoolchildren
Foul-Mouthed Homosexual Activist and Anti-Christian Bigot Appointed to Obama Administration

Obama's Homosexual "Safe School Czar" Tells God "Screw You, Buddy" in Memoir
Sex, Lies & Power Exposed: Obama "Safe Schools Czar" Admits to Ignoring Continued Homosexual Statutory Rape of Student

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/oct/09100903.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário